quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Risco de febre amarela aumenta com turistas no Carnaval; Saúde de JP alerta

Postado por Noticiando PB  | 

Com a chegada do Carnaval e o fluxo maior de turistas, a Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), alerta a população para os cuidados com a febre amarela. Apesar de não haver surto da doença em João Pessoa, aparecendo os sintomas o cidadão deve procurar os serviços médicos nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA).
Os sintomas mais comuns são febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos. A forma mais grave da doença é rara e costuma ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela. Segundo os dados da Vigilância Epidemiológica da SMS, João Pessoa não teve nenhum caso notificado ou suspeito da doença.
De acordo com o gerente da Vigilância Epidemiológica, Daniel Batista, o cidadão que apresentar algum dos sintomas deve procurar a UPA da sua região. “Além do atendimento, o Núcleo de Vigilância Epidemiológica presente em todas as UPAs está preparado para acompanhar os casos que possam aparecer. O paciente deve relatar os sintomas e por onde viajou nos últimos 15 dias. Os tratamentos mais graves devem ser encaminhados aos hospitais de referência (Clementino Fraga e Hospital Universitário Lauro Wanderley, o HU)”, explicou.
Daniel Batista ressaltou ainda que as pessoas que irão viajar para áreas endêmicas da febre amarela devem procurar o Centro Municipal de Imunização, no antigo Lactário da Torre, das 8h às 11h. “A equipe responsável pela saúde do viajante irá orientar sobre os cuidados pré, durante e pós a viagem. Só devem ser vacinadas, exclusivamente, as pessoas que vão viajar para região de risco no Brasil e no exterior, as demais deverão ser vacinadas de acordo com o calendário de imunização”, explicou.
A vacina é contraindicada para: crianças com menos de 6 meses de idade; pacientes com imunossupressão de qualquer natureza; indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina e outros produtos que contêm proteína animal bovina); pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica).
Transmissão
A doença pode ser categorizada em febre amarela urbana, transmitida pelo Aedes aegypti, e febre amarela silvestre, quando transmitida pelo Haemagogus e Sabethe. “A febre amarela urbana acontece quando um humano infectado anteriormente pela febre amarela silvestre a transmite para mosquitos urbanos, como o Aedes aegypti, que a espalham. Já a febre amarela silvestre os mosquitos destas regiões se infectam picando primatas com a doença e podem transmitir a um humano que visite este habitat”, explica a coordenadora de Doenças Transmissíveis da SMS, Danielle Lucena.

Portal do Litoral

Autor

Noticiando PB

Total de visualizações de página

Subscribe to our Mailing List

We'll never share your Email address.
Copyright © 2013 Noticiando PB. Powered by Blogger.
Blogger Template by Bloggertheme9
(83) 9 9618-4861 noticiandopb1@gmail.com