quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Com baratas, infiltrações e mofos, CRM-PB interdita bloco cirúrgico do ‘Trauminha’, em João Pessoa

Postado por Noticiando PB  | 

Um dos dois blocos cirúrgicos do Complexo Hospitalar de Magabeira Tarcísio Burity – Ortotrauma, em João Pessoa, foi interditado eticamente pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), nesta terça-feira (12). Essa interdição ocorreu após uma fiscalização realizada no mesmo dia, que constatou irregularidades no local. Assim, os procedimentos devem ser suspensos no setor a partir desta quarta-feira (13).
Segundo o CRM-PB, no bloco do “Trauminha” em que são realizadas as cirurgias gerais foram identificadas, entre as quatro salas existentes, problemas como buracos no teto, infiltrações, ferrugem, piso sem conservação e mofo. Com a interdição, os médicos ficam impedidos de operar nesses locais.
O CRM confirmou que o hospital apresenta problemas em sua estrutura, com infiltrações nas paredes, buracos no teto e nas paredes, inclusive no centro cirúrgico, além de infestação de baratas na enfermaria, superlotação de pacientes e demora na realização de cirurgias.
Pacientes e acompanhantes denunciaram à equipe do CRM-PB que, durante o período de internação, precisam levar lençóis, travesseiros, colchões e ventiladores para o hospital.
“Sabemos da importância do hospital para a população de João Pessoa, por isso não podemos interditar toda a unidade. Mas encontramos muitas irregularidades que precisam ser resolvidas urgentemente. Em uma das salas do bloco cirúrgico, por exemplo, há um buraco no teto, em cima da mesa de cirurgia. Isso é um absurdo. Há um risco imenso de contaminação. Nas outras salas de cirurgia há buracos nas paredes, ar condicionado sem funcionar e chão todo deteriorado”, elencou o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa.
Ele ainda acrescentou que há superlotação nas enfermarias, pacientes pelos corredores, além da presença constante de baratas, problema relatado e demonstrado por meio de fotografias feitas pelos pacientes e acompanhantes.
O hospital realiza cerca de 600 cirurgias por mês, 200 atendimentos ambulatoriais e 100 atendimentos de urgência e emergência. São mais de 200 médicos de diversas especialidades trabalhando no complexo hospitalar.
Participaram da fiscalização, além do CRM, o Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren-PB) e o Conselho Regional de Fisioterapia da Paraíba. O Ministério Público e a Vigilância Sanitária também foram convidados a participar da inspeção, mas não puderam comparecer.
O CRM-PB vai utilizar as informações coletadas durante a fiscalização para produzir um relatório que será entregue à direção do hospital, à Secretaria Municipal de Saúde e ao Ministério Público. O CRM vai interditar um dos dois blocos cirúrgicos da unidade.
Portal do Litoral

Autor

Noticiando PB

Total de visualizações de página

Subscribe to our Mailing List

We'll never share your Email address.
Copyright © 2013 Noticiando PB. Powered by Blogger.
Blogger Template by Bloggertheme9
(83) 9 9618-4861 noticiandopb1@gmail.com